Publicado em: sexta-feira, 14/02/2014

Reclamações contra bancos crescem 121%

Reclamações contra bancos tiveram um crescimento de 121%A insatisfação dos clientes tem aumentado vertiginosamente. De acordo com os dados revelados pelo Banco Central, as reclamações dos clientes contra os bancos aumentaram 121,7% em dezembro de 2013, comparado com o mesmo período no ano retrasado. Os dados levantados levam em conta apenas as queixas contra instituições com mais de um milhão de clientes.

Foram 2508 reclamações em dezembro, mais que o dobro das 1131 recebidas no mesmo período do ano anterior. Os principais motivos de descontentamento se repetem todos os meses: débitos não autorizados (444 queixas), prestação de conta salário de forma irregular (335) e cobrança irregular de serviços não contratados (231).

Instituições como Caixa Econômica, Banco do Brasil e Santander figuram como a fonte das principais reclamações. O cliente que se sentir lesado pelos bancos, tem o direito de reclamar, e inclusive há um canal no próprio site do Banco Central para que as pessoas façam as queixas.

Apesar das queixas, não há punição por descumprimento das normas, assim como a fiscalização não é eficiente. Muitas das queixas são reincidentes e os bancos não costumam procurar uma solução para as falhas.

Respostas:

Com declarações vazias, a maioria dos bancos afirma que vem buscando solucionar os problemas com os clientes, mas quem já sentiu-se lesado, contesta que falta empenho e diálogo por parte das empresas financeiras.

O Banco Central afirma que todas as queixas são utilizadas como base na supervisão aos bancos, além de que dá preferência às queixas mais graves e recorrentes, no entanto, a afirmação é contesta pelos clientes queixosos.

As reclamações podem ser feitas pelo telefone, online ou nas unidades do Banco Central, mas em momento algum afirma qual é o tipo de punição que as instituições financeiras podem receber.

De qualquer forma, o consumidor precisa estar a par dos direitos e denunciaram frente às irregularidades, para que não continue sendo lesado.