Publicado em: quarta-feira, 31/08/2011

Rebeldes avançam em direção a Sirte e consideram que tem o direito de matar Kadafi

Os rebeldes integrantes do Conselho Nacional de Transição (CNT), órgão criado para organizar a restauração do governo líbio, avançaram nesta quarta-feira (31) em direção à Sirte, cidade natal do ex-ditador Muamar Kadafi. Os insurgentes decidiram continuar com as ocupações das cidades depois de terem dominado a capital do país, Trípoli. O CNT concedeu o prazo de três dias para que forças aliadas a Kadafi se rendam. Acredita-se que Kadafi ainda esteja dentro do território líbio.

De acordo com o integrante do CNT que assumiu provisóriamente o cargo no ministério do Interior, Ahmed Darrat, caso os rebeldes encontrem Kadafi, eles tem todo o direito de matar o ex-ditador. Para Darrat, “ele está nos matando. É um criminoso e um foragido. Em todo o mundo, aqueles que aplicam a lei têm o direito de matar um criminoso que não se rende.” Mesmo com a capital do país sob o controle do CNT, encontrar Kadafi é essencial para garantir a instauração do novo governo e fazer com que as últimas forças leais a ele se rendam.

Nesta segunda-feira (29), o governo da Argélia, país norte-africano que faz fronteira com a Líbia, confirmou que recebeu a família de Kadafi para conceder abrigo. Foram abrigados a mulher, uma filha e dois filhos do ex-ditador.

De acordo com o governo argelino, eles entregariam Kadafi se ele entrasse no país. Para incentivar a busca por Kadafi, o CNT ofereceu anistia a quem entregá-lo vivo ou morto. Ao mesmo tempo, um empresário do país lançou uma recompensa de U$1,6 milhão a quem entregar Kadafi vivo ou morto.