Publicado em: sábado, 01/03/2014

Rafinha Bastos tenta conciliação com Apae oferecendo shows beneficentes

Rafinha Bastos tenta conciliação com Apae oferecendo shows beneficentesO humorista Rafinha Bastos, que agora é apresentador do programa ‘Agora É Tarde’ da Band, conta que tentou acordo com Apae (Associação de Pais e Amigos do Excepcionais) de São Paulo, para que não se prolongasse mais e passasse a correr na justiça como segunda instância. Há um tempo atrás, a Apae entrou com uma ação na justiça, para que o humorista tirasse de circulação o seu DVD que leva o nome de “A Arte do Insulto”, por conta de uma piada que destaca crianças que sofrem de deficiência intelectual.

A briga na justiça foi travada, entretanto, em janeiro deste ano, Rafinha ganhou da Apae de São Paulo em Primeira Instancia. A associação divulgou uma nota, classificando as negociações como “infrutíferas” e por isso recorreu a decisão, agora a ação irá correr em segunda instancia. Rafinha Bastos afirma que não divulgou sua opinião acerca da decisão, porque não quer que de a entender que isso é uma briga contra a Apae. Segundo o humorista, a instituição é maravilhosa e tem um trabalho sensacional, e está disposto a ajudar. Disse também já ter se reunido, afim de tentar uma conciliação com eles oferecendo shows beneficentes.

Liberdade de expressão

Uma ação que foi aberta em janeiro de 2012, a Apae exigia ao humorista, uma indenização por danos à imagem no valor de R$100mil e também a proibição da venda do DVD “A Arte do Insulto”, e qualquer tipo de piada relacionado ao assunto em suas apresentações. Na apresentação do DVD, Rafinha diz que usou camisinha com efeito retardante e depois precisou internar o pênis na Apae, usando a frase “hoje em dia ele está completamente retardado”. Isso soou como ofensivo para a instituição. O humorista se defende sobre o caso dizendo que, precisa ter liberdade de expressão, ele afirma que, acha que o comediante, ou qualquer outro tipo de comunicador, precisa ter liberdade de expressão para falar sobre o que quiser. Acredita que é preciso lutar por essa causa, mas a intenção não é lutar para prejudicar a Apae, criticando eles. É uma das poucos instituições consideradas como séria de verdade, finaliza.