Publicado em: sábado, 03/03/2012

Rafinha Bastos irá substituir Pânico com versão de Saturday Night Live

O Pânico sai da telinha e chega Rafinha Bastos em seu lugar. Na tentativa de afastar a crise gerada pela saída de sua principal atração, a RedeTV convocou toda a imprensa para se pronunciar sobre este assunto, apresentando o mais novo reforço: o polêmico humorista Rafinha Bastos.

O ex participante do CQC deverá comandar uma atração, que seguirá os moldes do programa américa Saturday Night Live, considerado um dos formato de humor mais famosos do mundo. A RedeTV negociou o programa pela Endemol Brasil. A ideia da emissora é manter as características e padrões do programa original, inserindo neste caso, piadas e outros elementos brasileiros.

Rafinha assumirá o cargo de produtor executivo e com isso, a responsabilidade de escolar o elenco do programa, além de participar de alguns quadros. “Ainda tenho alguns preconceitos e receios em relação à TV aberta, mas não consegui recusar o convite quando vi que se tratava do Saturday Night Live, um programa no qual todos os humoristas certamente se inspiram. Espero conseguir ajudar a fazer um programa divertido, com liberdade para fazer piadas e brincar”, afirmou o humorista, durante a entrevista coletiva promovida pela RedeTV, na quinta-feira, 1º de março, em sua sede.

A nova atração da RedeTV ainda não tem previsão para estrear na grade da emissora. As indicações, entretanto, são de que apesar do nome, o programa irá ao ar nas noites de domingo, ocupando o vazio deixado pelo Pânico.

Outros acontecimentos na emissora

Além do anúncio da contratação de Rafinha Bastos, a RedeTV também aproveitou o encontro para falar sobre os recentes acontecimento internos da emissora. Amílcare Dallevo, presidente e Marcelo Carvalho, o vice, não disfarçaram a mágoa gerada com a saída mais que repentina dos integrantes do Pânico, mas tentando minimizar a importância do programa para a audiência da RedeTV.

“O Pânico era um programa com alto faturamento, mas também com alto custo de produção. Então, a liquidez era baixa, alcançando somente 12% do faturamento total da casa. Com o passar dos anos, a atração foi ficando cara e enfrentávamos, recentemente, um problema de queda de audiência do humorístico motivada, sobretudo, pela mudança do tom usado pelos humoristas”, explicou Marcelo de Carvalho. O vice-presidente revelou ainda que a emissora chegou a ter uma baixa de anunciantes, que teriam desistido pelo fato de o programa ser muito apelativo.

Entretanto, a emissora chegou a admitir que os salários dos integrantes do programa e alguns outros colaboradores tiveram atraso. “As perdas da Série B do Campeonato Brasileiro e dos direitos de exibição do UFC impactaram nosso faturamento”, justificou Marcelo de Carvalho. “O ano passado também teve um período de baixa liquidez, que afetou todo o mercado de comunicação. Isso também nos prejudicou”, completou Dallevo.

Para recuperar o tempo perdido, a emissora se propõe a tomar diversas medidas para equilibrar o orçamento. “Vamos fazer cortes, eliminar operações que são financeiramente inviáveis e reduzir custos ao máximo. Mas também, iremos investir em projetos que achamos que valem à pena”, afirmou o vice-presidente da casa.