Publicado em: sexta-feira, 16/12/2011

Putin rejeita acusações de fraude eleitoral nas eleições parlamentares

O primeiro-ministro da Rússia, Vladimir Putin, rejeitou na quinta-feira (15) a proposta de refazer as eleições parlamentares de 4 de dezembro, pois negou as acusações de fraude eleitoral. Os resultados mostraram que o seu partido, Rússia Unida (RU), ficou com quase 50% dos votos, o que ainda garante a maioria das cadeiras no Parlamento, mas já representa uma queda em comparação às eleições passadas. Para o premiê, os resultados mostram a vontade do povo.

As declarações de Putin foram feitas durante um tradicional programa de televisão anual, no qual o premiê comparece para responder perguntas feitas por telefone. Na ocasião, Putin minimizou o efeito dos protestos que vêm sendo realizados, os mais intensos em 12 anos de hegemonia política, e afirmou que são permitidos enquanto forem pacíficos e continuarem dentro da lei. Até a sua participação no programa, Putin não havia se pronunciado sobre o assunto.

“Do meu ponto de vista, o resultado da eleição (de 4 de dezembro) indubitavelmente reflete a opinião pública no país”, declarou o premiê. Com suas declarações, Putin deu a entender que não vai ceder aos pedidos da oposição para refazer as eleições, mas indicou que é favorável a instalar câmeras de segurança nas seções eleitorais para as eleições presidenciais de 2012. Putin é o favorito para vencer essa disputa.

Antes das eleições, o partido de Putin contava com 315 deputados, sendo que agora, depois dos novos resultados, o número caiu para 238. A oposição defende que, sem a fraude eleitoral, a queda teria sido ainda pior para o partido do premiê.