Publicado em: quinta-feira, 08/03/2012

Putin pede que oposição na Rússia aceite derrota

Vladimir Putin, o primeiro ministro russo, vencedor da disputa para presidente de domingo (4), solicitou ontem, quarta-feira (7), que a oposição política russa “ouça a voz do povo”, se referindo a recusa do grupo em reconhecer o resultado da votação.

“Dizem que as autoridades devem escutar a voz do povo. A oposição também deve escutar essa voz”, declarou o primeiro ministro. De acordo com os resultados oficiais, Putin conquistou 63,6% dos votos no pleito.

Numa crítica direta aos opositores, que continuam a organizar manifestações nas ruas, o primeiro ministro afirmou que em sua opinião, para influenciar a vida do país politicamente, “considera insuficiente apenas sair às ruas pra protestar”.

A oposição não parlamentar se transformará em uma autêntica força política somente quando utilizar as reformas, se adaptando a estrutura política, sendo também capaz de apresentar não apenas as necessidades, mas também as propostas para o desenvolvimento da Nação, defendeu o premiê.
“Devem mostrar aos eleitores de todo o país suas propostas, se estas forem atraentes e a população acreditar nelas então de fato uma autêntica força política”, lembrou. Putin ainda garantiu que não tem se negado a abrir diálogo com a oposição, citando como exemplo a liberação para realizar as manifestações. “O presidente (Dmitri) Medvedev já se reuniu com eles. Isso é também cooperação. Estamos em permanente contato com eles”, acrescentou.

Confirmações

Vladimir Putin admitiu ser possível terem ocorrido irregularidades no processo eleitoral, mas afirmando que seriam no máximo 1%, não interferindo no resultado das eleições. No entanto, ele minimizou a importância do fato de a Liga dos Eleitores não ter reconhecido como válida sua vitória durante o primeiro turno. A Liga dos Eleitores é uma organização cívica defensora da lisura do processo de eleição.

O primeiro ministro ainda defendeu a atuação da Polícia, que conteve centenas de opositores na segunda-feira (5), no centro da capital Moscou no final do protesto, que ocorreu de forma pacífica, contra as possíveis fraudes no processo.

O Comitê de Instrução da Rússia ainda revelou que irá começar um processo penal caso seja confirmado que alguns opositores realizaram chamados às algazarras de rua. Nesta quarta feira, a oposição não parlamentar russa recebeu uma autorização oficial para fazer novo protesto, no dia 10 de março, em Moscou.