Publicado em: quinta-feira, 08/12/2011

Putin acusa Estados Unidos de incentivar protestos na Rússia

O primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, acusou nesta quinta-feira (8) a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, de ter dado “o sinal” para opositores do governo começarem as manifestações contra as eleições parlamentares de domingo. De acordo com Putin, centenas de milhões de dólares foram usadas pelos Estados Unidos para financiarem os protestos na Rússia. Os manifestantes acusam o governo russo de fraude e imparcialidade e os protestos vêm acontecendo diariamente.

Em seu primeiro pronunciamento após as manifestações, Putin afirmou “ela deu o tom para alguns ativistas da oposição, deu o sinal a eles, eles ouviram esse sinal e iniciaram sua atividade”. Além disso, Putin defende que alguns dos manifestantes têm “motivações políticas egoístas” e que a maioria da população não tem a intenção de fazer uma reviravolta política. “Nós somos todos adultos e entendemos que alguns… dos organizadores agem em consonância com um cenário bem-conhecido e seguindo os próprios interesses políticos mercenários,” declarou o premiê.

Junto à Hillary, o último líder soviético, Mikhail Gorbachev (1985-1991), pediu na quarta-feira (7) que sejam anuladas as eleições. Gorbachev também pediu que seja realizado novo pleito. A campanha eleitoral em si quase não atraiu atenção, mas Putin desejava que seu partido, Rússia Unida (RU), fosse bem para que ele possa voltar à presidência em março.

Durante as eleições, alguns russos diziam que não se importavam com as legislativas, pois sabiam que seriam manipuladas de qualquer maneira. O porcentual conquistado pelo partido de Putin foi de 49,3%, o que representa uma queda em comparação a 2007.