Publicado em: terça-feira, 22/11/2011

PT pede que Fernando Haddad deixe o Ministério da Educação neste ano para se dedicar à campanha de 2012

O Partido dos Trabalhadores (PT) pediu ao ministro do Trabalho, Fernando Haddad, também pré-candidato da legenda à prefeitura de São Paulo em 2012, que ele deixe a pasta do Ministério até o final do ano para que possa se dedicar integralmente às tarefas da campanha para o ano que vem. Especula-se que Haddad agende uma reunião com a presidenta Dilma Rousseff (PT) ainda nesta semana para definir os termos da sua partida e data.

O plano de Haddad era deixar a pasta no final de janeiro, quando estava previsto anunciar as vagas em universidades federais para estudantes que participam do Sisu (Sistema de Seleção Unificada). Essa estratégia permitiria ter maior visibilidade em uma das iniciativas feitas pelo Ministério durante sua permanência no cargo. Porém, dirigentes petistas afirmam que Haddad se mostrou disposto a deixar a pasta ainda neste ano, pois teriam se encontrado com o ministro em reuniões organizadas durante o final de semana.

Independente das vontades de Haddad ou do PT, o ministro já afirmou que a palavra final será a da presidenta. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) orientou o partido a selecionar dirigentes nacionais para coordenar a campanha de 2012, os quais devem ser escolhidos até o final do mês.

Até o momento já foram indicados dois nomes: o secretário-geral Elói Pietá e o secretário de Organização, Paulo Frateschi. Sabe-se que o presidente estadual do PT, Edinho Silva, e o municipal, Antonio Donato, também vão compor a equipe. O número total de coordenadores poderá ser de 15 a 20.