Publicado em: quarta-feira, 14/08/2013

Protesto realizado no hospital Sírio-Libanês pede por melhorias na saúde Pública

Protesto realizado no hospital Sírio-Libanês pede por melhorias na saúde PúblicaEm protesto realizado ontem na cidade de São Paulo um número de aproximadamente 50 funcionários públicos interditou a Avenida Paulista, impedindo trânsito em pelo menos três faixas no sentido da Rua Consolação segundo informações que foram registradas pela Companhia de Engenharia de Tráfego.

Os manifestantes deixaram a Avenida Paulista, que fica na região central de São Paulo, e seguiram para a sede da secretaria municipal de saúde, que fica localizada exatamente ao lado do hospital das Clínicas de São Paulo, os manifestantes seguiram para lá por volta de 21h30 da noite e depois de chegarem a secretaria municipal de saúde se separaram e o trânsito nessas imediações foi liberado.

Os protestantes também estiveram em frente ao hospital Sírio-Libanês, que se localiza na região do centro da cidade de São Paulo, antes de caminharem até a secretaria.

O manifesto teve início na tarde de ontem, por volta de 18h30, e teve como ponto de encontro inicial a Prefeitura de São Paulo, os protestantes ficaram em frente a sede da prefeitura, que se localiza no viaduto do chá, e seguiram logo após para o hospital Sírio-Libanês, tendo sua chegada à frente do hospital por volta das 19h30.

Dentre as reivindicações do grupo de manifestantes, que conta a presença de integrantes do Fórum Popular de saúde, é que o tratamento que é realizado atualmente pelo Sistema Único de Saúde de aos funcionários melhores condições de trabalho e seja modificado e melhorado para atender as necessidades da população que depende desse sistema, eles também pedem para que o secretário estadual de saúde, Giovanni Guido Cerri deixe o cargo.

O senador também foi alvo das manifestações, quando estavam na frente do hospital Sírio-Libanês, onde José Sarney, está internado, os manifestantes utilizavam palavras que expressavam a ordem, em relação à conduta de Sarney.

Um protesto também realizado na porta do Sírio-Libanês já havia ocorrido na quinta-feira passada, onde os funcionários públicos da área da saúde também fizeram parte do protesto, sendo assim o protesto realizado na noite de ontem foi o segundo nas imediações do hospital.

Diferente do protesto ocorrido na semana passada, ontem os servidores solicitaram que houvesse uma reunião com a direção do hospital para que eles pudessem ter uma conversa no que diz respeito às condições da saúde pública no país, a direção do hospital liberou a entrada de apenas duas pessoas, então houve um tumulto entre integrantes do manifesto, policiais e também seguranças do hospital.

De acordo com as informações passadas pelo Sírio-Libanês, alguns integrantes do movimento conseguiram acessar a unidade de pronto atendimento do hospital e quebraram alguns objetos como cadeiras e vasos.

Em nota o hospital Sírio-Libanês lamentou que por mais uma vez os manifestos por melhorias na saúde, ocorram dessa maneira, segundo eles prejudicando o bem estar dos pacientes, que merecem ser respeitados.