Publicado em: sexta-feira, 25/04/2014

Protesto de moradores da comunidade Pavão Pavãozinho termina em meio a confronto com Policiais

Protesto de moradores da comunidade Pavão Pavãozinho termina em meio a confronto com PoliciaisA morte do dançarino Douglas da Silva Pereira causou revolta dentre os moradores da comunidade do Pavão Pavãozinho, no Rio de Janeiro, o jovem foi encontrado morto em uma creche do local, testemunhas afirmam que o disparo que matou Douglas foi efetuado por policiais que estavam no local em uma ação no dia da morte do rapaz.

Após o enterro de Douglas, que era conhecido como “DG”, milhares de pessoas da comunidade onde o rapaz era conhecido por fazer parte do grupo “bonde da madrugada” se encaminharam para a comunidade pelas ruas fazendo um protesto contra a morte do rapaz, com cartazes e pedidos de justiça, dentre eles estava a mãe de Douglas.

Quando o protesto estava se aproximando da avenida Nossa Senhora de Copacabana houve um confronto com policiais que estavam no local, manifestantes arremessaram pedras e outros objetos contra os policiais que responderam com balas de gás lacrimogênio, além de bombas de efeito moral para dispersar as pessoas.

Com o clima quente foi necessária a intervenção da tropa de choque para que a situação fosse controlada, e alguns homens do choque subiram por um dos acessos a comunidade com fuzis, mas não houve registro de tiroteios ou feridos durante esta ação.

Em uma emissora de televisão a mãe de Douglas declarou que não entendia a ação da polícia no protesto já que nesse momento as pessoas que gostava do filho dela tinham todo direito de manifestar o seu sentimento de descontentamento com a morte do rapaz, muito emocionada a mãe de Douglas disse ainda que acima de qualquer coisa aquele era um momento dela e que portanto ela tinha todo o direito de compartilhar sua dor por perder seu filho com todos os que gostavam de Douglas.