Publicado em: quarta-feira, 18/01/2012

Protesto contra SOPA gera debate sobre seu funcionamento

Ao mesmo tempo em que o projeto de lei anti-pirataria dos Estados Unidos conhecida como SOPA (Stop Online Piracy Act) está sendo discutida somente pelos parlamentares daquele país, muitos internautas e sites brasileiros aderiram ao protesto contra a aprovação do texto. Nesta quarta-feira (18), os sites que são contrários à aprovação do projeto de lei organizaram formas de manifestação, que vão desde o desligamento da página até a publicação de mensagens informativas.

Por mais que muitos apóiem a causa, nem todos entendem exatamente como isso vai influenciar no dia a dia da internet. No caso do Wikipedia, por exemplo, que decidiu deixar a sua versão em inglês 24 horas fora do ar nesta quarta-feira, o SOPA representaria uma verdadeira censura na internet. O site pirata que vem sendo mais citado é o ‘Pirate Bay’, que agrega links de conteúdos digitais cujo download seria ilegal. Nesse caso, o Wikipedia seria proibido de falar sobre o ‘Pirate Bay’, de providenciar qualquer explicação sobre a existência do domínio.

Além disso, muitas empresas criticam o fato que podem ser punidas pela ação individual de cada usuário. Sites como eBay, Amazon e YouTube, por exemplo, poderiam ser removidos do ar quando um internauta postasse conteúdo que vai contra as determinações o texto do SOPA.

Se um vídeo que fere os direitos autorais for postado no YouTube, a consequência pode ser a proibição do site por completo. O principal argumento do YouTube é que todas as empresas que se sentirem prejudicadas podem pedir pela remoção do vídeo, e o YouTube se encarregará de fazê-lo.