Publicado em: terça-feira, 04/10/2011

Protestantes impedem acesso a ministérios na Grécia

Para manifestarem contra as medidas de austeridade que estão dificultando as negociações do FMI e da União Europeia para uma nova porcentagem de auxílio econômico ao país, trabalhadores bloquearam os acessos a vários ministérios da Grécia nessa terça-feira, dia 4 de outubro.

Para conter a crise, diversos trabalhadores tiveram seus cortes de salários definidos e aumento de impostos pelo Partido Socialista, o qual chegou ao poder prometendo taxar os ricos e ajudando os pobres. O governo afirmou que não irá cumprir a meta de déficit de 2011 e confirmou os planos para regimes especiais de empregos e possíveis demissões.

Segundo o secretário-geral do sindicado do setor público ADEDY, Ilias Iliopoulos, a sociedade está irritada e os manifestos de hoje tem a ver, principalmente, com o regime especial de empregos, as demissões e as novas medidas que prejudicam ainda mais o povo grego. Outros prédios foram bloqueados pelos protestantes, como os ministérios do Trabalho, Cultura, Agricultura e Desenvolvimento.

Escolas e hospitais serão fechados na quarta-feira e aviões e trens serão interrompidos. Isso devido a greve dos trabalhadores em protesto. Os ministros das Finanças da zona do euro afirmaram que a Grécia tem como esperar até novembro para receitar outra parcela de 8 bilhões de euros do programa de ajuda.