Publicado em: quarta-feira, 04/03/2015

Propostas de reforma da pista do Engenhão não são aprovadas em licitação

Continua rendendo polêmica o processo de licitação para realizar a reforma da pista de atletismo do Engenhão. Isso tudo porque na última sexta feira, a Empresa Municipal de Urbanização do Rio, a RioUrbe, informou a Construtora Augusto Velloso e Sanerio Engenharia, as duas empresas concorrentes do processo que as propostas apresentadas não foram aceitas. Agora, as duas empreiteiras tem apenas oito dias úteis para readequar a documentação e tentar novamente conseguir a aprovação. Se por acaso, nenhuma das duas for selecionada, a probabilidade é que a prefeitura realize a contratação da empresa para dar continuidade das obras sem a abertura de licitação.

A previsão inicial é que as obras de reforma da pista do Engenhão sejam concluídas dentro do período de um ano. O investimento previsto é de R$ 52 milhões para a finalização dos trabalhos no Engenhão. Mesmo que as propostas das duas empreiteiras não sejam aprovadas, os trabalhos devem ser iniciados até o final do mês de março, já que não foi possível dar início em fevereiro. A assessoria de imprensa do estádio informou ainda que não existe qualquer risco de que a pista não esteja pronta para o evento teste das Olimpíadas do Rio. O evento teste está previsto para o mês de maio do ano. As obras vão ocorrer na pista de atletismo mesmo com partidas de futebol acontecendo no estádio. Propostas de reforma da pista do Engenhão não são aprovadas em licitação

A nova pista de atletismo será marrom, a cor tradicional para as competições olímpicas e também paraolímpicas, mas apresentará medidas um pouco maiores que a atual. Além destas obras para substituir a estrutura do atletismo, a empresa que vencer o processo de licitação deve instalar também arquibancadas temporárias nas áreas superiores, localizados nos setores sul e norte. Além disso, a obra também prevê trocar o sistema elétrico do local, que hoje já vem sendo considerado inapropriado para a realização de competições de grande porte. O contrato ainda prevê benefícios como a reforma dos vestiários e troca de bebedouros, além da instalação de um painel eletrônico substituindo os placares.

O Engenhão foi inaugurado em 2007, com investimento de R$ 380 milhões, mas passou 20 meses fechados por uma determinação do governo local, sob o comando do prefeito Eduardo Paes, depois de realizada uma inspeção técnica, com a descoberta de alguns deslocamentos além do normal na cobertura de alguns setores.