Publicado em: domingo, 02/03/2014

Proposta apresentada pelo Reino Unido, fará com que o país seja o primeiro a realizar fertilização com ‘duas mães’

Proposta apresentada pelo Reino Unido, fará com que o país seja o primeiro a realizar fertilização com ‘duas mães’Na última quinta-feira (27), a Grã Bretanha divulgou uma proposta que planeja tornar o país a ser o primeiro a fazer tratamentos de fertilização no qual o bebes terão um pai e duas mães, isso seria feito com a finalidade de evitar uma transmissão de doenças incuráveis. A decisão dividiu opiniões, foi muito elogiada por médicos, contudo, eles se preocupam com o fato desta prática ocasionar o nascimento de crianças com características pré-definidas. De acordo com o governo, essa medida passará antes por escrutínio público e aprovação do Parlamento.

Essa técnica é conhecida pelo nome de fertilização ‘in vitro’ (FIV) com três genitores, o bebe resultante da ação terá o gene da mãe, do pai e de uma doadora. A proposta está sendo avaliada, consultores médicos dos EUA, estão fazendo esta semana muitas audiências públicas acerca do assunto para avaliar quais são as justificativas cientificas para começar a fazer a realização destes testes em seres humanos, está sendo avaliada com muita precaução para que não tenha nenhuma consequência futura.

Este tratamento não saiu do planejamento, por enquanto ainda está em estágio de pesquisa, sendo feito em laboratórios da Grã Bretanha e Estados Unidos, dando a continuidade e chegando a finalização do processo, seria considerado a primeira vez que embriões modificados geneticamente seriam implantados em mulheres.

Processo

O processo é feito para remover o DNA mitocondrial danificado, que é responsável por causar doenças hereditárias, caracterizado por problemas cardíacos fatais, insuficiência, hepática, distúrbios cerebrais, cegueira e distrofia muscular. Já as doenças mitocondriais que não tem cura e são transmitidas por meio da linhagem materna, atinge cerca de 6.500 crianças em todo o mundo, por isso surgiu a pesquisa. Os cientistas tem pesquisado diversas técnicas de FIV com três genitores, uma das pesquisas tem sido desenvolvida pela Universidade Newcastle, que trata da troca de DNA entre dois óvulos humanos fertilizados. A consulta pública sobre a regulamentação da pesquisa britânica teve início na última quinta-feira e tem término previsto para 21 de maio.