Publicado em: terça-feira, 13/03/2012

Prominp abre inscrições

O Prominp, o Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural, abriu na semana passada o processo para seleção pública que irá oferecer cursos gratuitos no campo de estudos de petróleo e gás. A Bahia foi o estado contemplado com mais de 900 das mais de 11 mil vagas disponibilizadas pelo programa. Poderão se inscrever no processo candidatos do nível básico, médio, técnico ou superior.

Os cursos possuem duração de três a nove meses e prepara os alunos para ingressarem em empresas que trabalham com o fornecimento de bens e serviços do setor. Na lista de divisão de vagas por estado, a Bahia ficou em quarto lugar, atrás de São Paulo, com mais de mil vagas, Rio Grande do Sul, com mais de 1.100 e Rio de Janeiro, com mais de 4.500 vagas.

As cidades selecionadas para oferecer qualificação gratuita, com objetivo de atender a demanda específica da Petrobras na Refinaria Landulpho Alves (RLAM) e na Unidade Operacional da Petrobras na Bahia, são: Salvador, Simões Filho, Candeias, Lauro de Freitas e São Sebastião do Passé.

“A finalidade é manter a competitividade das contratações para reduzir os riscos logísticos e financeiros dos empreendimentos”, afirmou Maria das Graças Foster, a mais nova presidente da Petrobrás, em sua primeira entrevista à imprensa, desde sua posse.

Durante o evento de lançamento do 6º Ciclo do Plano Nacional de Qualificação Profissional (PNPQ) do Programa, no Rio de Janeiro, a presidente explicou que o número de vagas ofertadas deverá atender as demandas dos projetos do setor. “Existe uma demanda de pessoal treinado. O número de vagas ofertado está baseado na demanda dos empreendimentos em todo o país”, declarou, lembrando que não existe nenhuma obrigação da empresa de colocar o aluno mercado depois do término do curso.

Resultados anteriores

Entretanto, os resultados do Programa Nacional de Qualificação Profissional (PNQP) do Prominp indicaram que a taxa de empregabilidade aumentou de quase 33% para 67,1% para os profissionais que participam do curso.

Foster ainda declarou não ser possível informar a faixa de salário de um profissional que consegue se qualificar pelo Prominp. “São muitos os níveis salariais. Depende do mercado, das empresas. O que posso dizer é que hoje o nível técnico tem uma gratificação bem melhor, o que é muito bom”.