Publicado em: sábado, 07/03/2015

Programa Mais Médicos perderam profissionais em 49% das cidades

Um relatório realizado pelo Tribunal de Contas da União, o TCU, a respeito do programa do governo federal Mais Médicos, aponta que foi registrada uma redução no número de profissionais de quase 50% nas cidades que são atendidas pelo Mais Médicos durante este primeiro ano de funcionamento. O mesmo levantamento do TCU ainda apontou que existem cidades que receberam bolsistas, mas acabaram ainda assim registrando um aumento inferior ao que era esperado no quadro de profissionais da área da saúde.

De acordo com Arthur Chioro, o ministro da Saúde, teria ocorrido uma redução de profissionais em apenas três por cento dos municípios que são beneficiados pelo programa Mais Médicos. Ele também afirma que este documento do TCU está apresentando dados desatualizados do programa e seu atendimento nas cidades beneficiadas. O Tribunal de Contas da União aponta com o relatório que os números podem significar que as prefeituras teriam dispensado os profissionais que atendiam antes através do Sistema Único de Saúde, substituindo estes profissionais por integrantes do programa Mais Médicos. Se comprovada, essa ação será condenada pelo Governo Federal.Programa Mais Médicos perderam profissionais em 49% das cidades

Foi analisado pelos técnicos do TCU o período compreendido entre junho de 2013 e março do ano passado. Com base nessa análise, o órgão de fiscalização descobriu que em mais de 160 cidades beneficiadas pelo programa, recebendo bolsistas do Mais Médicos, foi registrada uma redução no número de médicos para atendimento público. O programa do Governo Federal foi desenvolvido em 2013, com a proposta de garantir o aumento do número de médicos que realizam atendimento na rede pública, especialmente nas regiões mais carentes, garantindo ainda que médicos estrangeiros e brasileiros com formação no exterior passem a atendem no serviço público. Os bolsistas recebem uma bolsa de R$ 10 mil, aproximadamente, para realizar o atendimento a população pelo serviço público de saúde.