Publicado em: quinta-feira, 29/03/2012

Programa Ciência Sem Fronteiras oferece bolsas nos EUA

Por meio da Coligação das Entidades de Educação e Cultura Brasil-EUA, a embaixada do país norte americano está destinando 200 mil dólares para a oferta de bolsas de educação, para estudo intensivo da língua inglês e a cultura do norte do continente. O investimento deve beneficiar estudantes interessados em participar do programa do Governo Federal, Ciência sem Fronteiras.

Através do programa Ciência sem Fronteiras, os Estados Unidos foram a primeira nação a abrir as portas para um grupo de alunos brasileiros. O conselheiro para assuntos de imprensa, educação e cultura, John Matel, também declarou que o país também pretende ser o primeiro a ofertar as bolsas.

O programa de bolsas foi intitulado ‘English3’ (algo como inglês ao cubo, em interpretação livre), além de desenvolvido por profissionais especialistas dos EUA e de centros binacionais das nações. O English3 usará recursos da mais nova geração, com métodos inovadores e conteúdo online. O curso é dividido em três módulos: uma fase preparatória de 60 horas-aula, com teste de proficiência em inglês, o TOEFL, em seguida um curso de 60 horas aula de técnicas de redação e apresentação na língua inglesa, encerrando com um curso de 30 horas sobre a realidade acadêmica e cultural dos Estados Unidos.

Benefícios

A princípio, as bolsas devem beneficiar mais de cem estudantes que vivam em condições de baixa renda, mas apresentem excelente desempenho acadêmico, sendo moradores das seguintes cidades: Belém, Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Curitiba, Guarapuava, Londrina, Manaus, Marília, Recife, Ribeirão Preto, Rio de Janeiro, Salvador, São José dos Campos, São Paulo e Sorocaba.

Para garantir uma bolsa do programa English3 é preciso estar devidamente matriculado em um curso superior de tecnologia dentro dos campos especificados nas normas do Ciência sem Fronteiras. Também preciso ser brasileiro ou naturalizado, ter se classificado com uma nota mínima de 600 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Além disso, outro requisito é a conclusão de ao menos 40% do currículo previsto para o curso que o candidato estiver graduando, possuir nível médio de fluência na língua inglesa e comprovar a necessidade da ajuda financeira.