Publicado em: sexta-feira, 13/04/2012

Professores estaduais da Bahia entram em greve por tempo indeterminado

Professores da BA entram em greve por tempo indeterminadoNa Bahia, professores da rede de ensino estadual decidiram numa assembléia realizada na última quarta feira (11) que entrarão em uma greve por tempo ainda indeterminado. A categoria afirma que o governo teria firmado um acordo com os docentes para o aumento geral dos salários de 22,22%, mas não estaria cumprindo o combinado.

O aumento deverá ser aplicado pela gestão pública somente para os professores do nível médio, que estavam com o salário abaixo do novo piso, estabelecido em R$ 1.451,00.

A assembléia de quarta feira aconteceu no ginásio do colégio Salesiano, na cidade de Nazaré, tendo a greve sido aprovada unanimemente. A argumentação é de que o greve só acabará quando o governo do Estado cumprir com a promessa de aumentar o salários da categoria em todos os níveis da educação.

Manifestações

Depois da assembléia onde foi definida a greve, a categoria saiu em passeata, de Nazaré até a praça da Piedade. Havia sido planejado para a tarde um calendário de atividades, que incluía reuniões das zonais na capital e diversas outras reuniões no interior do estado, além da produção de campanhas publicitárias na TV, rádio e nos ônibus. A diretoria do sindicato ficou responsável pela movimentação entre os professores.

Antes disso, o governador baiano Jaques Wagner havia dado uma entrevista a um programa de TV regional, declarando que não poderia aplicar ainda o aumento para os professores da rede estadual. De acordo com o governador, o que impede o estado de cumprir a solicitação da categoria é a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Wagner ainda lamentou que o aumento precise se restringir a apenas um nível da categoria, mas não é possível que seja estendido para todos. O governador ainda destacou que o estado é o que apresenta um dos piores caixas do Brasil, com muitos moradores, em uma grande extensão de terreno para muito pouco dinheiro.

Na quarta feira também, seguiu ainda para a Assembléia Legislativa um projeto de lei que deve garantir a aplicação do piso salarial para toda a categoria no Estado. Caso seja aprovado, o PL poderá garantir a 5.210 professores do nível médio a chance de aumentar os rendimentos. De acordo com o Governo do Estado, mais de 30 mil docentes integrantes do magistério já estão recebendo acima do piso.