Publicado em: terça-feira, 13/03/2012

Professores do DF entram em greve; 500 mil estudantes sem aulas

Desde ontem, segunda feira (12), data definida para o início da greve aprovada durante uma assembleia dos professores realizada no último dia 8 de março, quase meio milhão de alunos do sistema público de ensino do Distrito Federal.

Entre as principais solicitações da categoria está a exigência da equiparação da média salarial com as outras carreiras de nível superior do governo. A exigência, de acordo com o Sindicato dos Professores no Distrito Federal (Sinpro-DF) se refere a um acordo negociado ainda em abril do ano passado, cujas promessas o governo não teria cumprido.

De seu lado, o governo afirma que está atendendo gradualmente as propostas do acordo, já tendo, no caso, concedido um aumento de 13,83% no salário – afirmando ter sido este o maior índice do país – e um reajuste de mais de 50% no valor do tíquete-alimentação, valendo hoje R$ 304.

O Governo distrital também menciona o atendimento do pedido de maior contratação de professores efetivos, cerca de 400, além da implantação de um modelo de gestão mais democrática e a reforma de centenas de escolas e a oferta de cursos de licenciatura, especialização e formação continuada para a categoria.

Ação do Sindicato

O Sinpro reconhece que o reajuste salarial foi realizado conforme o aumento do Fundo Constitucional e do tíquete alimentação, considerando os aumentos como “avanços importantes”, mas ainda afirma que a maior expectativa dos professores está relacionada à reestruturação do plano de carreira dos profissionais, que prevê a isonomia salarial com as outras carreiras de nível superior do Distrito Federal.

O governo já declarou que não poderá conceder outros aumentos para os professores devido aos limites de gastos com as despesas impostas pela Lei de Responsabilidade Fiscal, mas afirma que deverá retomar as negociações o quanto antes. Garantindo também, que irá tentar viabilizar os recursos necessários para implantar o Plano de Saúde dos trabalhadores ainda em 2012.