Publicado em: quinta-feira, 10/11/2011

Professores criticam nova resolução para ensino infantil

A partir do próximo ano, passa a valer a resolução do Conselho nacional de Educação (CNE) que determina que somente as crianças que tiverem 6 anos completos até 31 de março poderão ser matriculadas na primeira série do ensino fundamental. Pais e professores de Pernambuco criticam a nova que lei que proíbe que mesmo que a criança tenha concluído o ensino Infantil mas não tenham os 6 anos completos deverão repetir o ano.

O CNE argumenta que a medida foi tomada porque estas crianças estão sendo alfabetizadas muito cedo. Já o diretor do Sindicado das Escolas Particulares de Pernambuco (Sinepe-PE), Arnaldo Mendonça, afirma que tanto alunos quanto famílias serão prejudicas com a nova lei.

“Não sei como é que se pode determinar o desenvolvimento da criança em função da idade. E também de uma forma tão específica, com a data estipulada em 31 de março. Qual a diferença da criança que nasceu em 31 de março e a que nasceu em 10 de abril, por exemplo. Realmente há diferença em termos de desenvolvimento cognitivo e sociopsicológico? Acho que o que está acontecendo é um grande equívoco”, afirma Mendonça.

O sindicato orienta que os pais ou responsáveis que se sentirem prejudicados com a nova determinação vão até as escolas e solicitem o relatório psicopedagógico do aluno e entrem com um pedido na Justiça. “No momento em que ele tem um instrumento legal, como uma liminar, as escolas estarão obrigadas a fazer a matrícula”, diz o diretor do Sinepe-PE.