Publicado em: terça-feira, 18/02/2014

Produção brasileira de soja deve ser a maior do mundo, afirma Dilma

Produção de soja no Brasil deve ser a maior do mundoApós o recorde de produção de soja na safra 2013/2014, a expectativa da presidente Dilma Rousseff é que o Brasil lidere mundialmente a cultura do granel. Para a safra atual, que está sendo colhida, a previsão de superar os 193 milhões de toneladas de grãos. Segundo Dilma, o uso de novas tecnologias colaborou grandemente para o recorde na produção.

Ela ainda salientou que os números não representam apenas a expansão da força da agricultura brasileira no mundo, mas também um grande avanço financeiro para o país, por conta das exportações do grão, que colaboram com o saldo da balança comercial.

Dilma lembrou que a produtividade da produção de grãos no Brasil cresceu 221% nos últimos 20 anos. Em área plantada, o crescimento foi de 41%. No ano passado, 83 mil máquinas agrícolas foram vendidas em todo o Brasil, o que representa um crescimento superior a 18% em relação ao ano anterior.

Segundo a presidente, o governo pretende estimular práticas sustentáveis na agricultura, como a redução na emissão de gases do efeito estufa. Entre as iniciativas para atingir este objetivo está o Programa ABC, Agricultura de Baixo Carbono.

Investimentos em logística

Os investimentos em armazenamento e no escoamento da safra também foram comentados pela presidente Dilma Rousseff. Segundo ela, linhas de crédito são oferecidas para financiar a construção de armazéns privados, além da realização de investimentos em construções públicas pelo país. O objetivo é dobrar a capacidade de armazenamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) em regiões estratégicas para o país.

Dilma ainda destacou a importância de se garantir o ágil escoamento da safra. Para isso, estão sendo realizados investimentos em rodovias, ferrovias, e no transporte marítimo, especialmente nos portos brasileiros. O objetivo é garantir a infraestrutura necessária para o transporte dos graneis com agilidade e segurança, reduzindo o custo Brasil e aumentando a rentabilidade da produção de grãos.