Publicado em: terça-feira, 29/05/2012

Procura por passagens aéreas bate recorde em abril

Com relação a abril do ano passado, a procura por passagens aéreas no mercado brasileiro em abril deste ano cresceu 5,3%. Ao mesmo tempo que a oferta de assentos das empresas aéreas subiu com mais força: de acordo com dados da Anac, a Agência Nacional de Aviação Civil, o avanço alcançou 7,3%.

Ainda de acordo com a Agência, os números de procura e oferta do transporte aéreo doméstico no mês passado, são os mais altos desde 2000. Entretanto, nos vôos domésticos, a taxa média de ocupação alcançou 71,8%, indicando um índice quase 2% menos que em abril do ano passado, que chegou a 73,1%.

Os números servem ainda para reforçar o cenário desde o início deste ano, onde uma alta foi identificada, com 10,3% na oferta de lugares e o aumento de quase sete por cento na procura pelos bilhetes. Na área internacional, a procura diminui em 1,5%, quando comparado com abril de 2011.

No mesmo período, a oferta também apresentou uma redução de quase dois por cento. Considerando os quatro primeiros meses do ano, ocorreu um crescimento de aproximadamente dois por cento na procura internacional, ao mesmo tempo em que a oferta diminuiu em 2,2%. A ocupação média dos vôos internacionais em abril atingiu 81%, pouca diferença se comparado ao mesmo período do ano passado.

Análise da Anac

De acordo com a Anac, a participação de empresas que possuem um porte menor dentro do mercado de vôos domésticos aumentou neste período analisado quase trinta e cinco por cento. Isso representa uma participação delas, que subiu de 19% para 25,3%. O maior crescimento em abril foi registrado pela Trip e pela Avianca. Esta última, teve a participação aumentada de 1,6% para 5%, enquanto a Trip, que está se fundindo com a Azul, passou de 2,7% para 4,3%.

As duas maiores empresas do setor, a Gol e a Tam, acumularam juntas quase setenta e cinco por cento do mercado. Apesar de alto, o número ainda é menor em quase oito por cento que o mesmo período em 2011, quando elas respondiam juntas por mais de oitenta por cento do market share.