Publicado em: terça-feira, 22/05/2012

Primeiro-Ministro italiano é recebido com vaias na região do terremoto

Mario Monti, o primeiro ministro da Itália, foi recebido hoje, terça feira (22), com vaias pela população em Sant’Agostino. A região foi uma das mais afetadas pelo terremoto que atingiu a região norte do país na madrugada de domingo, chegando a 5,9 na escala Richter.

Monti chegou na localidade, da região de Emilia-Romagnam por volta das 9h, no horário local (4h no horário de Brasília). Ele fez um rápido percurso pelas ruas locais. O chefe do executivo foi recebido com gritos e vaias que diziam “ladrões, fiquem em casa”. Quem gritava era um grupo de moradores afetados pelo terremoto, que resultou em sete mortes, além de mais 50 feridos e outros cinco mil moradores que precisaram ser evacuados de suas casas.

O grupo estava fazendo referência ao imposto sobre bens imóveis, que o governo de Monti reintroduziu no país, que deve voltar a ser pago nos próximos dias, na mesma ocasião em que várias casas do local estão inabitáveis, devido o alcance do terremoto no final de semana.

Posição do governo

Monti qualificou como grave o nível dos danos que o terremoto causou e aposta na possibilidade de reativar a atividade produtiva em Emilia-Romagna, local em que os empresários estimam ter perdido centenas de milhões de euros. Atualmente, só um de cada quatro pólos industriais do local está em condições de retomar as atividades.

O primeiro ministro lembrou ainda que no começo da tarde de hoje (22) ele irá presidir, em Roma, o Conselho de Ministros, onde deve ser declarado o estado de emergência da localidade afetada, de forma que poderá garantir um melhor dispositivo para atender a população que foi afetada.

Os moradores que foram alojados em acampamentos precisaram passar mais uma noite com o temor, sentindo novos tremores contínuos de terra, que são causados pelas replicadas do tremor inicial. Foram contabilizados aproximadamente 200 tremores nas 24 horas posteriores ao terremoto.