Publicado em: terça-feira, 16/07/2013

Primeiro-ministro da Espanha descarta renunciar devido a escândalo político

Primeiro-ministro da Espanha descarta renunciar devido a escândalo políticoO premiê Mariano Rajoy da Espanha afirmou durante a segunda-feira (15) que não pensa em deixar o cargo depois que líderes opositores pedirem que ele renuncie por a um escândalo de um suposto financiamento de maneira ilegal do Partido Popular, o que faz parte. Ele afirmou que irá defender estabilidade política e irá cumprir o mandato que os eleitores espanhóis deram para ele. Rajoy apontou que este escândalo não iria atrapalhar o programa das reformas políticas.

Esta pressão que já estava em cima de Rajoy chegou a aumentar durante a segunda-feira (15) após uma testemunha de um assessor que era confiável para um juiz que fala de acusações de ocorrer um financiamento de maneira ilegal para o partido que está atualmente no poder.

Rajoy está lutando contra uma grande recessão econômica na Espanha e busca tapar o buraco que está atingindo o Orçamento do País. Isto tem até o momento limitado o impacto que o escândalo tem com respeito as doações que são supostamente feitas de maneira ilegal através de alguns magnatas do setor de construção civil, que podem ter sido feitos através de pagamentos com dinheiro para os líderes dos partidos em troca eles receberiam alguns contratos de maneira suculenta.

Bem no centro deste grande escândalo fica o ex-tesoureiro Luis Bárcenas do partido, que tem 55 anos e está preso desde o mês de junho pela acusação de ter feito corrupção, além de lavagem de dinheiro, de fraude fiscal e demais crimes. Um juiz que é da Alta Corte chegou a interrogar Bárcenas com portas fechadas pelo período de mais de três horas durante a segunda-feira (15).

Um advogado que está envolvido neste caso apontou que o antigo tesoureiro do PP (partido do primeiro ministro) tinha que fazer a entrega de documentos que apontavam a maneira que ele fez a operação por diversos anos para um fundo do partido que existia de maneira secreta.