Publicado em: segunda-feira, 16/04/2012

Presos fazem rebelião e mantêm familiares reféns em Aracaju

Em torno de 420 detentos do Complexo Penitenciário Advogado Antônio Jacinto Filho,localizado no bairro Santa Maria, zona sul de Aracaju, no Sergipe, estão mantendo, desde a tarde do último domingo (15), 120 pessoas como reféns. Três delas não agentes carcerários. Um agente penitenciário que também estava no local quando o tumulto começou, acabou conseguindo fugir dos detentos pulando do telhado do presídio. Devido ao fato de ter pulado de uma altura de cerca de 6 metros, ele acabou quebrando uma das pernas, contudo recebeu socorro de uma equipe do Samu e passa bem.

O policial contou que os reféns são os próprios familiares dos detentos, e eles teriam ficado no local por vontade própria mesmo depois de serem liberados por eles. De acordo com informações da polícia, os presos estão armados com armas como escopetas e facas. Toda hora eles fazem ameaças aos carcereiros. Além disso, os presidiários tomaram os radiocomunicadores dos carcereiros e estão utilizando os aparelhos para se comunicarem entre si.

A luz do presídio foi cortada, entretanto não foi informado se o corte ocorreu por parte dos presos ou por parte da polícia. Havia ainda sinais de fumaça. Os presos mataram dois cães de guarda do presídio, destelharam o prédio do complexo penitenciário e colocaram fogo em colchões. De acordo com os presidiários, os funcionários da penitenciária os agridem. Eles também reivindicam melhoria no alimento que é servido para eles.

Um dos detentos do presídio é Davide Migani, italiano de 42 anos que foi preso em 2011 com 300 quilos de cocaína em um veleiro que afundou na praia de Atalaia. Segundo o secretário do Estado de Justiça, Benedito Figueiredo, e também o promotor criminal da 7ª vara, Luiz Claudio Almeida Santos, a rendição já está sendo negociada.