Publicado em: quinta-feira, 04/07/2013

Presidente Morsi não cumpre esperado e é deposto no Egito

Presidente Morsi não cumpre esperado e é deposto no EgitoMohamed Morsi era presidente egípcio e foi deposto do seu cargo através do Exército durante a quarta-feira (3), depois de uma semana em que ocorrem protestos populares no País. O destino do primeiro líder eleito democraticamente no Egito foi selado na segunda-feira, depois que as Forças Armadas haviam dado um ultimato de 48 horas para que tanto governo quanto oposição atendessem demandas da população que estava nas ruas.

A Constituição que havia sido elaborada no mês de novembro no Parlamento que contava com grande parte islâmica foi revogada. E o presidente da Corte Constitucional Adli Mansour do Egito vai ser o novo chefe do Estado interino e vai comandar um governo com representantes de várias esferas civis até que novas eleições sejam convocadas. A posse do novo presidente deve ser durante a quinta-feira (4).

O ministro da Defesa Abdel-Fattah el-Sisi junto a líderes religiosos e membros da oposição, anunciaram que o País terá uma coalizão e Morsi havia sido informado algumas horas antes através de militares que não era o presidente do País.

O presidente deposto havia sido eleito no Partido Liberdade e Justiça (PLJ), que é um braço político da Irmandade Muçulmana, e ficou um ano e dois dias no comando do País e teve o governo marcado por muitas atitudes ortodoxas e que pouco colaboravam para o País, que vivia uma crise econômica.

Com o final do ultimato de 48 horas que havia sido dado durante a segunda-feira (1º), durante o meio da tarde no Egito, tanques estiveram se deslocando para que ocupassem os grandes pontos em que haviam manifestações no Cairo, onde haviam partidários e também críticos de Morsi concentrados desde o final da semana. Após o anúncio que Morsi não era mais presidente, a praça Tahir explodiu em alegrias, com muitos fogos de artíficio e comemoração nas ruas. Os militares não dizem se tratar de um golpe e sim uma continuação da primavera egípcia que ocorreu há dois anos no País.