Publicado em: quarta-feira, 07/05/2014

Presidente do Irã veta proibição de WhatsApp no país

Presidente do Irã veta proibição de WhatsApp no paísA partir de hoje, o WhatsApp é mais um aplicativo que está liberado para ser utilizado no Irã. Na manhã desta quarta-feira (07), o presidente iraniano, Hassan Rohani, impediu que uma lei que proibiria o uso no país do Oriente Médio. A medida é fruto de uma manipulação para que o aplicativo de mensagens instantâneas não fosse utilizado após o Facebook comprá-lo por 16 bilhões de dólares.

No entanto, o país já bloqueia o acesso de outros sites e aplicativos, tais como o Twitter, Facebook e Youtube, além de outros portais classificados como contrários ao governo iraniano ou aos valores da religião mulçumana.

A decisão de proibir o uso de aplicativos e redes sociais no país ocorreu durante os protestos contrários à reeleição do então presidente Mahmud Ahmadinejad, organizados na Facebook. Tais protestos resultaram na criação de um comitê que seria capaz de avaliar todos os conteúdos online do país, a fim de proibir que novos protestos ocorressem.

De acordo com o Ministro das Telecomunicações, Mahmud Vaeri, ao jornal Shargh, as medidas haviam sendo debatidas, quanto à proibição do WhatsApp no país, no entanto, o presidente do país havia vetado a lei para que o iraniano continuasse utilizando os serviços do aplicativo.

De acordo com o ministro, não há como proibir a utilização destes sites pois não há uma alternativa para eles, e foi justamente por isso que o governo foi contrário à proibição.

Abdolsamad Jorramabadi é um dos membros do comitê e afirmou à Fars no dia primeiro de maio, que a decisão de proibir a utilização do aplicativo no país foi tomada a partir da compra pelo Facebook no mês de fevereiro. Classificado como uma ameaça ao governo iraniano e de “americano sionista”, Mark Zuckemberg sofreu inúmeras perdas no Irã, uma vez que o Facebook é proibido no país há cinco anos.

Hassan Rohani tem feito de tudo para se aproximar do Ocidente e esta é uma das medidas de abertura política e econômica do país.