Publicado em: quarta-feira, 26/06/2013

Presidente Dilma propôs medidas para os manifestantes

Presidente Dilma propôs medidas para os manifestantesDepois da onda de protestos contra o Estado brasileiro, a presidente Dilma Rousseff se pronunciou anunciando cinco medidas como resultado das manifestações. Ela elaborou cinco pactos para o país que irão atingir as áreas da educação, saúde, transporte, reforma política e responsabilidade fiscal. De acordo com Dilma, as iniciativas incluem o combate também à corrupção.

Apesar do pronunciamento em rede nacional, a população ainda está descontente com a atitude a presidente. Ela participou de várias reuniões realizadas no Palácio do Planalto antes de chegar às conclusões. Governadores, prefeitos e ativistas do Movimento Passe Livre estiveram presentes na discussão.

Depois de tanta mobilização nas ruas de São Paulo e em outras 100 cidades do país, Dilma recebeu os manifestantes que lutam pela redução das tarifas das passagens do transporte coletivo. O Movimento Passe Livre tem como foco a luta pela gratuidade do serviço para atender ao livre direito de ir e vir.

Os ativistas esperam medidas efetivamente concretas para otimizar o transporte coletivo e diminuir ao máximo o valor das tarifas. Eles buscam compromisso tanto de prefeituras, governos estaduais e a esfera federal. Os pactos dependem ainda da aprovação no Congresso.

O discurso de Dilma inclui a diminuição da taxa de impostos do óleo diesel, combustível que abastece os veículos de circulação coletiva. Além disso, a redução dos encargos cobrados para a energia elétrica em trens. Dilma prevê um investimento de cerca de R$ 50 bilhões em mobilidade urbana aumentando a frota de metrôs e ampliando os corredores exclusivos para o tráfego de ônibus.

O que está deixando a população indignada também é a proposta de um plebiscito. Dilma quer convocar uma assembléia constituinte a fim de discutir de forma democrática uma reforma do exercício político no Brasil. Mas ela não detalhou a proposta, que já ganhou críticas de deputados e senadores de oposição. A presidente ainda diz que o crime para quem comete corrupção poderá ser transformado em hediondo, que acusa penas mais rígidas aos envolvidos.

A discussão destas medidas agora serão feitas a nível regional e cada local irá decidir as suas prioridades e a forma de agilizar o trâmite de aplicação do dinheiro.