Publicado em: segunda-feira, 24/03/2014

Presidente destaca ensino profissionalizante e avanço das mulheres na busca por qualificação

Presidente destaca ensino profissionalizante e avanço das mulheres na busca por qualificaçãoA presidente Dilma Rousseff afirmou, na manhã desta segunda-feira (24), que os investimentos na educação profissionalizante e o interesse dos brasileiros nessa modalidade refletem diretamente no avanço do mercado de trabalho do país, e aumenta as chances de avanços na indústria, comércio e outros setores fundamentais. Segundo ela, o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) já registrou mais de seis milhões de matrículas.

De acordo com Dilma, desse total de matriculados, pelo menos um milhão de estudantes são beneficiários do programa Brasil sem Miséria, e recebem Bolsa Família. Além disso, a presidente ressaltou que o Sisutec teve número de inscrições superior a um milhão de inscrições, superando em 40% os índices registrados no ano passado. Segundo ela, o governo se preocupa com esse tipo de investimento por ele garantir desenvolvimento ao país em diversas áreas.

Entre as pessoas que estão buscando a especialização pelo Pronatec, 1,7 milhão procuram os cursos técnicos de nível médio, enquanto que as outras 4,4 milhões de inscrições são para cursos de qualificação profissional, mais curtos que os da outra modalidade. Os investimentos no programa, segundo Dilma, já chegam a R$ 14 bilhões, distribuídos em mais de quatro mil cidades.

Inclusão

Outro ponto destacado pela presidente em relação ao Pronatec, é que seis em cada 10 matrículas são de mulheres, demonstrando um interesse crescente deste público em buscar qualificação profissional e quebrar paradigmas no mercado de trabalho. Além disso, Dilma garantiu que a maioria destas inscrições é de jovens e negros.

Segundo a presidente, o objetivo é abrir oportunidades mais igualitárias no país, incluindo gente de todas as classes sociais no mercado de trabalho com chances iguais de crescimento pela oportunidade de se aprimorar sem custos. A meta é de atingir um número de oito milhões de matrículas no Pronatec até o final deste ano.