Publicado em: quarta-feira, 20/07/2011

Premiê responde ao Parlamento sobre acusações referentes ao caso dos grampos telefônicos

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, compareceu nessa quarta-feira no Parlamento para prestar seu depoimento quanto ao caso dos grampos telefônicos realizados pelo jornal News Of The World. Durante a audiência realizada ontem (19) com Rupert Murdoch, presidente-executivo da News Corp., James Murdoch, filho e principal executivo da empresa, Rebekah Brooks, ex-executiva da News International, e dois ex-integrantes da polícia de Londres, todos os acusados citaram Cameron nos seus depoimentos.

Além do suposto vínculo com os acusados no caso dos grampos, Cameron vem sofrendo forte pressão política por ter contratado Andy Coulson, ex-editor do tabloide em questão, como seu assessor de comunicação antes de assumir o posto de premiê. O jornalista continuou ao lado de Cameron até o início desse ano, quando foi afastado por conta das denúncias relativas ao jornal.

Em seu depoimento, Cameron afirmou que assume a responsabilidade pela contratação de Coulson, mas que não responde pelos seus atos enquanto este era editor do jornal, caso seja provado que ele é, de fato, culpado. Sobre essa possibilidade de verificar o envolvimento de Coulson na realização das escutas, Cameron afirmou que “ele terá mentido não só para mim, mas para a polícia e para o comitê (que investiga o caso). Ele enfrentará todas as acusações.”

O jornal NOTW é acusado de ter grampeado cerca de quatro mil telefones e caixas postais de celebridades, personalidades políticas, esportistas, vítimas de atentados terroristas e da garota Milly Dowler, sequestrada e assassinada em 2002. O caso se agravou quando a família de Milly percebeu que as mensagens da sua caixa postal estavam sendo apagadas, o que deu esperança para encontrá-la viva. Porém, eram os jornalistas no NOTW quem estariam deletando os recados para permitir que outros fossem gravados.