Publicado em: quinta-feira, 11/08/2011

Premiê britânico considera usar Exército para conter futuros tumultos de violência

Em sessão extraordinária do Parlamento, o primeiro-ministro britânico, David Cameron, afirmou nessa quinta-feira (11) que o uso das forças do Exército podem ser consideradas para conter os manifestantes em novos tumultos que venham a acontecer. A cidade de Londres, capital da Inglaterra, vem sendo depredada há uma semana, com rebeldes colocando fogo em veículos e edifícios, além de realizarem saques a estabelecimentos comerciais.

Durante a reunião com o Parlamento, Cameron afirmou “é responsabilidade do governo assegurar que qualquer contingência futura seja avaliada, incluindo se há tarefas que o Exército pode assumir que possam liberar mais policiais para a linha de frente. Os distúrbios não eram por política nem por protesto, eram para roubar […] Não é uma questão de pobreza. É uma questão de cultura.” Nesse sentido, o premiê defende que todos os cidadãos que tiveram seus estabelecimentos saqueados podem exigir uma indenização do governo.

Na noite da quarta-feira (10), a cidade de Londres voltou a ter mais tranquilidade, o que foi garantido pelo reforço policial, o qual aumentou de seis mil homens para 16 mil, e também pela chuva. Com esses dois fatores, os responsáveis pela segurança da capital conseguiram conter as práticas de vandalismo em alguns bairros de Londres, os quais configurariam o quinto dia consecutivo de violência.

Até o momento, o número de pessoas detidas por envolvimento nas práticas de violência chega a 888, sendo que dentro desse total 371 acusados já foram indiciados e vão responder a um processo criminal. Os protestos foram desencadeados pela morte de Mark Duggan, a qual aconteceu durante um tiroteio com a polícia.