Publicado em: sábado, 03/08/2013

Prefeitura de São Paulo realiza pagamento de médicos inexistentes

Prefeitura de São Paulo realiza pagamento de médicos inexistentesAs empresas responsáveis pela terceirização de serviços na área de saúde estão na mira do governo do Estado, por mês são destinados cerca de R$ 116 milhões para pagamento dos médicos que integram às redes de atendimento que são administradas por essas empresas.

Pelas contas cerca de 1286 profissionais são pagos mensalmente sem ocuparem efetivamente esses cargos, já que na maioria dos hospitais a busca por profissionais de diversas especialidades são grandes.

As Organizações de saúde recebem a verba da prefeitura para que administre os postos pelos quais são responsáveis, sem que haja prejuízo ao público que necessita passar por atendimento, no entanto o que acontece é que esses órgãos justificam que há uma certa resistência em contratar novos profissionais, que se torna ainda maior quando a vaga fica localizada na periferia do Estado.

Na realidade essas contratações que não são realizadas de acordo com o prazo e que por sua vez também não são comunicadas ao governo, geram um grande rombo nos cofres públicos, porque apesar de as vagas não estarem preenchidas o valor repassado pela Secretaria Municipal de Saúde permanece inalterado, ou seja o dinheiro é depositado integralmente sem que haja qualquer desconto.

Com essa falha na comunicação entre as prestadoras de serviços que terceirizam a saúde em São Paulo e a Secretaria do estado quem é prejudicado é o povo, pois faltam médicos para o atendimento hospitalar e a espera nos hospitais atualmente é cada vez maior, principalmente na zona leste que conta com 571 plantões para médicos interessados, mesmo em instituições que oferecem grandes salários para um período de 12 horas de trabalho.

Para os pacientes que precisam recorrer a esse atendimento não há diferença nos locais que são comandados pelo município dos que são terceirizados, muitos deles dizem que a diferença só é notada pela placa informativa que indica o órgão pelos quais são administrados.