Publicado em: quarta-feira, 23/05/2012

Prefeito japonês faz questionário sobre tatuagens de funcionários

As tatuagens no Japão ainda são alvo de muita polêmica e discussão. Aqueles que possuem seus corpos marcados se tornaram o centro das atenções na cidade de Osaka devido a uma polêmica levantada pelo prefeito. No início do mês de maio, o prefeito Toru Hashimoto resolveu mandar um questionário para os mais de 30 mil funcionários públicos do município para tomar conhecimento de quantos deles têm tatuagens.

O questionário enviado pelo prefeito não especifica quais serão as medidas tomadas se o funcionário possua uma tatuagem. No entanto, Hashimoto, de 42 anos, disse em público que os funcionários que tiverem alguma marca deste tipo no corpo devem refletir sobre abandonar seus cargos e procurarem novos empregos.

Máfia japonesa

O prefeito de Osaka não é único contra as tatuagens. Grande parte do povo japonês ainda relaciona os desenhos marcados no corpo com a máfia do país, a Yakusa, sendo que as tatuagens é uma tradição conhecida do grupo criminoso. Ao que tudo indica, o questionário do prefeito foi elaborado depois que várias queixas da população, que está assustada com o número de funcionários que possuem tatuagens, especialmente os que fazem o serviço de coleta de lixo.

A aversão as tatuagens no país chega a vários locais, como piscinas, ginásios e balneários. As pessoas tatuadas podem até mesmo serem proibidas de frequentarem esses lugares. A enquete de Osaka indicou que mais de 100 funcionários públicos da cidade possuem uma tatuagem em alguma parte do corpo. Nem todos os questionados quiseram responder a enquete.