Publicado em: sábado, 27/07/2013

Prefeito do Rio critica organização da JMJ Rio 2013

Prefeito do Rio critica organização da JMJ Rio 2013Eduardo Paz (PMDB-RJ) fez duras críticas à organização geral da Jornada Mundial da Juventudo, no Rio de Janeiro, evento que recebe o Papa Francisco. De 0 a 10, o prefeito preferiu não dar uma nota para a administração, mas disse à rádio CBN que o zero está bem mais próximo que o dez.

Ele aponta falhas grotescas e dá a entender os problemas da realização são empurrados para a prefeitura, que os devolvem para os verdadeiros responsáveis. As principais lamentações de Eduardo são com relação ao transporte na área central – próximas de onde Francisco circulou com o papamóvel –, que tiveram grandes engarrafamentos; o metrô pifado no fim da terça-feira; e a alteração dos locais que receberiam as atividades finais em Guaratiba – que se mudou para Copacabana, em razão da chuva.

Com relação à alagada Guaratiba, diversos veículos de comunicação locais se posicionaram contra a prefeitura. A imprensa acredita que foram realizados investimentos para que a região pudesse receber o pontífice. Na entrevista, Eduardo desmentiu essa conversa e assegurou que nenhum valor público municipal foi destinado à área de Guaratiba.

Outra questão levantada é com relação à segurança pública. O megaevento trouxe centenas de milhares de turistas ao Rio, que não possui um contingente policial preparado e em igual proporção para tomar conta de toda população. Porém, o evento tem sido relativamente pacífico até o momento, com seis registros de furtos e nenhuma ocorrência grave, até o momento, segundo apuração da Folha de S. Paulo.

Neste sábado (27), o trajeto da peregrinação inicia às 7h na Central do Brasil e vai até Copacabana. A passagem percorre 9,5 quilômetros – 3,5 km a menos do que os previstos para Guaratiba – nas Avenidas Presidente Vargas, Avenida Rio Branco, Aterro do Flamengo, Praia do Botafogo e Princesa Isabel.