Publicado em: segunda-feira, 22/08/2011

Prefeito cassado de Campinas será substituído por vice que corre risco de receber acusações

O prefeito de Campinas, no estado de São Paulo, Hélio de Oliveira Santos (PDT), foi cassado na madrugada deste sábado (20) por determinação da Câmara Municipal. A sessão que decidiu a medida para destituir o prefeito do seu cargo teve duração de 44 horas. O vice-prefeito, Demétrio Vilagra (PT), deve assumir a prefeitura na próxima terça-feira (23), mas também pode ser alvo de investigações. Durante as apurações, Vilagra chegou a ser preso, apesar de negar todas as acusações contra ele.

A Câmara decidiu cassar o prefeito depois de terem analisado as acusações de envolvimento em um esquema de fraudes nos contratos da Sanasa (Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento). As denúncias partiram do Ministério Público Estadual e mostravam irregularidades na liberação de loteamentos e na instalação de antenas para telefones celulares. Para que o vice assuma o cargo de prefeito, a decisão precisa ser publicada no Diário Oficial da União.

Sobre a possibilidade de Vilagra receber acusações logo que assumir a prefeitura, seu advogado, Ralph Tórtima Stettinger, afirmou que “apresentamos uma defesa contrapondo as denúncias do MPE. E o órgão poderá receber ou não essa defesa. Enquanto não houver decisão, não há processo.” O vice-prefeito divulgou uma nota oficial na qual afirma estar preparado para assumir o cargo.

Ao mesmo tempo, o prefeito cassado informou a revista Veja que pretende recorrer da decisão que o obriga a deixar o cargo. De acordo com a entrevista concedida por ele, o julgamento foi por conta de um caso político e os seus advogados já estão se preparando para recorrer judicialmente.