Publicado em: sexta-feira, 14/10/2011

Preço dos tablets deve ser reduzido a 30% a partir de dezembro

O tablets produzidos pela empresa chinesa Foxconn no Brasil devem custar cerca de 30% a menos do que os dispositivos importados. A redução do preço é garantida pela medida sancionada na terça-feira (11) que garante a isenção de impostos para produtos tecnológicos e de informática produzidos em terras brasileiras. A medida foi publicada na edição desta quinta-feira (13) do Diário Oficial da União (DOU). A Foxconn é a maior produtora de componentes eletrônicos do mundo.

De acordo com a publicação do DOU, o governo reconhece como tablets dentro das condições de isenção fiscais aqueles “sem teclado, que tenham uma unidade central de processamento com entrada e saída de dados por meio de uma tela sensível ao toque de área superior a 140 centímetros quadrados e inferior a 600 centímetros quadrados”. Até o momento, os tablets que estão sendo vendidos ainda contam com a tela internacional.

O texto aprovado pela presidente altera a cobrança de PIS e Cofins à empresa, pois a taxa foi reduzida de 9,5% para zero. Os tablets vem sendo produzidos desde 23 de maio deste ano, mas a tela ainda é internacional. Os tablets com a produção de tela nacional devem começar a ser vendidos até dezembro, quando se espera que sejam um dos produtos de preferência para o natal.

Mesmo com a redução do custo na hora da compra do tablet, o consumidor deve se atentar à cobrança da taxa pela internet que é providenciada pelas operadoras. Atualmente, ainda não há iniciativa para facilitar o acesso aos usuários.