Publicado em: segunda-feira, 26/03/2012

Postura de Dilma é bem avaliada nas pesquisas, dizem analistas

Analistas dizem que, em função da boa avaliação de Dilma Rousseff nas pesquisas, é possível continuar mais dura com o Congresso e deixar de lado a pressão dos aliados. Segundo os entrevistados, a presidente ainda tem força política para manter a sua posição dura em função da sua alta popularidade. No entanto, enquanto Dilma está sendo bem avaliada nas pesquisas, na Câmara e no Senado sua popularidade é muito baixa.

Conforme avaliou Leonardo Barreto, a presidente Dilma é quem mais perde com o atraso das votações, como é o caso da Lei Geral da Copa e do Código Florestal. O professor da Universidade de Brasília disse que Dilma perde, pois dentro do congresso, a responsabilização pela não aprovação fica diluída entre os parlamentares. Em função disso, Dilma é quem mais tem ônus pela briga com o legislativo.

Segundo um parlamentar da base aliada já bastante experiente, Dilma não age dessa forma para demonstrar sua força política, mas sim porque não compreende o valor que o parlamento possui para o desenrolar das negociações com o governo. O parlamentar, que pediu anonimato, disse que ela pode estar atuando levando em conta sua alta popularidade perante os eleitores. Além disso, ele argumenta que o poder de Dilma é diferente daquele que Lula reunia com a base aliada, sendo que a principal mudança é a falta do carisma que o ex-presidente possuía.

Pesquisa considera gestão de Dilma como ótima ou boa em 59% dos entrevistados

A última pesquisa do Instituto Datafolha sobre a popularidade da presidente mostrou que Dilma supera a avaliação do ex-presidente Lula no início de seu mandato. A presidente tem 59% das avaliações dos brasileiros nas categorias ótima ou boa. Embora a crise com o Congresso possa abater a presidente na sua relação com os políticos, Barreto acredita que isso não terá impacto na sua relação com os eleitores.