Publicado em: quinta-feira, 19/09/2013

Portuguesa x Náutico: Para deixar a zona da degola, Lusa precisa dos três pontos diante do lanterna do Brasileirão 2013

Brasileirão 2013Apesar de ter vencido seus últimos três jogos em casa, a Portuguesa ainda não deixou a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro 2013. Mas se confirmar o favoritismo na noite desta quinta-feira (19), diante do lanterna Náutico, às 21 horas, no Estádio do Canindé, em São Paulo, a Lusa deixará o Z-4 independente dos outros resultados de hoje. O Timbú, por outro lado, não vence há 11 rodadas e pode se complicar ainda mais com um resultado negativo. Atualmente, a equipe pernambucana está em último lugar com apenas nove pontos somados.

Caso consiga um resultado positivo, a Lusa vai ultrapassar Vasco da Gama e Criciúma na tabela de classificação, e pularia da 18ª para a 16ª posição. Com um péssimo aproveitamento, o Timbú continuaria distante de sair do Z-4, mesmo com os três pontos, já que se encontra há 15 pontos do atual 16º colocado (Criciúma).

Para esse jogo, o técnico Guto Ferreira terá dois desfalques por suspensão automática, o lateral esquerdo Rogério e o atacante Diogo, que receberam o terceiro cartão amarelo diante do Fluminense, no último sábado (14). Para a ala esquerda, Magal e o recém-chegado Bryan disputam posição. Já no ataque da Portuguesa, Bergson ganha uma vaga para atuar ao lado de Gilberto. No meio de campo, Souza entra no lugar de Wanderson.

Levi Gomes fará mudanças no meio de campo e na defesa do Timbú

Pelo lado do Náutico, o técnico Levi Gomes não terá como escalar os volantes Martinez e Elicarlos, que receberam o terceiro cartão amarelo diante do Vitória no último domingo (15), e terão de cumprir suspensão automática. Com isso, Auremir e Dadá devem aparecer na equipe titular. Na defesa, Leandro Amaro volta ao time depois de cumprir suspensão e entra na vaga de William Alves para formar dupla de zaga com Jean Rolt.

O árbitro do jogo será Ricardo Marques Ribeiro, de Minas Gerais, que terá o auxílio de Pablo Almeida da Costa, do mesmo Estado, e de Rafael Trombeta, do Paraná.