Publicado em: terça-feira, 21/05/2013

Porta dos Fundos parodia religião e pode ter novas complicações

Porta dos Fundos parodia religião e pode ter novas complicaçõesNo mais recente vídeo humorístico do grupo Porta dos Fundos, os comediantes demonstraram não ficar intimidados com a possível censura dos trabalhos e apostam na produção irreverente no Youtube. Pouco tempo atrás, um usuário denunciou o vídeo “Rola” por ofensa à moral e aos bons costumes. Agora, os atores brincam com o “Demônio” (título da esquete) em cenário semelhante à uma igreja evangélica, onde um pastor tenta expulsar o mau espírito do personagem Washington. Apesar de divertido, alguns usuários se ofenderam e aumentam a polêmica na rede.

“Eu trouxe aqui para dar exemplo o Washington. Olhem só o rostinho de demônio. Olhem só o semblante de deus Zebu apossado”, retrata o ator que interpreta o pastor no início do vídeo. De autoria do roteirista Fábio Porchat, o vídeo não chega a falar mal de evangélicos ou alguma religião próxima. O humorístico dá ênfase ao diálogo entre o pastor e demônio, que negocia a permanência no corpo de Washington. As críticas negativas dos internautas vieram com a associação de preconceito aos evangélicos.

O usuário Luiz Reis defendeu o canal de humor no Youtube ao dizer que os usuários riem de todo tipo de piada, como loiras, gays e outros mais, então, entende que é justo respeitar a piada sobre evangélicos. Ao contrário, o internauta Sandro Izidoro comenta na rede social que critica demais a religião e que influencia negativamente na fé das pessoas. A verdade é que haverá ainda grande discussões sobre ser ou não ser politicamente correto na rede.

Na semana anterior, Porchat disse que o trabalho da Porta dos Fundos é voltado especificamente para a polêmica e que a “controvérsia” é parte integrante do humor. Com esta filosofia, o grupo de atores já alcançou mais de 3 milhões de fãs no Youtube desde o início dos trabalho. Até o momento, o vídeo demônio não foi censurado e possui 770 mil visualizações, com 47 mil curtidas e pouco mais de 2.700 indicações negativas.