Publicado em: quarta-feira, 14/09/2011

Por desobediência, bombeiros detidos irão responder por crime militar

Na manhã dessa quarta-feira, os líderes dos movimentos por melhores condições de trabalhos aos bombeiros irão responder por crime militar. O cabo Benevenuto Daciolo e o capitão Alexandre Marquesine desobedeceram a ordem de deixar a entrada do Palácio da Guanabara.

Tentativas de negociação para a retirada dos manifestantes foram feitas, de acordo com a corporação, mas os bombeiros não atenderam ao pedido e estão detidos no Grupamento Especial Prisional dos Bombeiros, em São Cristóvão. A detenção ocorreu quando um grupo de bombeiro acampava, em forma de protesto, no Palácio da Guanabara.

Os bombeiros reivindicam piso salarial de R$ 2.000,00, fim das gratificações e auxílio transporte no valor que atenda as suas necessidades de deslocamento. Essas reivindicações estão sendo feitas desde quando mais de 400 homens invadiram o Quartel Central, em abril.