Publicado em: segunda-feira, 11/08/2014

Por causa de epidemia de ebola Guiné opta por fechar suas fronteiras

Por causa de epidemia de ebola Guiné opta por fechar suas fronteiras A Guiné mantém suas fronteiras fechadas desde o último sábado para evitar que o vírus do ebola se propague ainda mais, as fronteiras fechadas foram as com ligação com a Serra Leoa e também com a Libéria, nos três países a doença já causou a morte de 959 pessoas, a atitude de fechar as fronteiras tem como objetivo cessar a entrada de pessoas desses países na Guiné.

Segundo informações passadas pelo Ministro da Saúde da Guiné, Remy Lamah a iniciativa de fechar as fronteiras ocorreu logo após serem recebidas notícias sobre a Serra Leoa e também sobre a Libéria, segundo o ministro a atitude é uma medida provisória.

Mesmo se acreditando que o vírus do ebola passou a se alastrar e sua epidemia tenha se iniciado na Guiné, a Serra Leoa e também a Libéria são as localidades onde o número de novos casos aparece com maior frequência.

A organização Mundial da Saúde tomou a decisão de decretar estado de emergência global, tendo como base as notícias de como o vírus tem se propagado atualmente, a decisão da Organização Mundial de Saúde foi comunicada na última sexta-feira dia 8.

Os seres humanos podem transmitir o vírus do ebola por meio dos fluídos corporais, além disso o vírus pode ser transmitido também por morcegos que também são portadores do vírus, caso haja contato com sangue e também caso haja consumo de carne de animais silvestres.

Em meio a epidemia que se instaurou muitos países sugeriram que seus cidadãos não fossem para estas zonas que estão sendo afetadas pela epidemia da doença, o vírus do ebola chegou na Nigéria e vitimou duas pessoas no país.

Segundo informações da Organização Mundial de Saúde o número de pessoas que estão infectadas pelo vírus do ebola é de 1.779, de acordo com dados dos últimos dias 5 e 6 a doença apresentou 68 novas casos, 26 desses casos teriam ocorrido na Serra Leoa e outros 38 na Libéria, e nenhum novo caso da doença teria sido registrado na Guiné.

O maior número registrado de vítimas ocorre na fronteira entre esses três países, segundo a Organização Mundial da Saúde essa região deve ser isolada e considerada uma zona unificada, mesmo que não se saiba ao certo como essa medida afetaria a estratégia de conter o vírus do ebola.