Publicado em: terça-feira, 25/02/2014

Por acúmulo de cargo público, Chioro é exonerado e reassume Ministério da Saúde no mesmo dia

Chioro é exonerado e reassume Ministério da Saúde no mesmo diaO vai-e-vem no Ministério da Saúde parece ter chegado ao fim. Após assumir como ministro no último dia 3, Arthur Chioro pediu exoneração do cargo no dia 21 e, no mesmo dia, reassumiu o cargo. O movimento aconteceu para que o substituto de Alexandre Padilha pudesse tomar posse como professor na Unifesp, em São Paulo. Este procedimento não é ilegal, e segundo o próprio Chioro faz parte do trâmite burocrático.

Isso porque, para assumir como professor, não podia permanecer com o cargo público. Porém, para ser ministro, não há problemas em acumular o cargo antigo, no caso como docente da Unifesp. A renomeação foi feita pelo presidente em exercício, Michel Temer, e foi publicada em edição extra do “Diário Oficial da União”.

Em nota oficial, o Ministério da Saúde deu esta mesma justificativa para a “manobra” realizada por Chioro, destacando que logo após assumir como professor, pediu licença da função para reassumir o cargo de ministro. Sendo assim, Chioro não exercerá os dois postos simultaneamente. Na mesma manhã, o secretário de Educação e Gestão da Saúde, Mozart Sales, foi nomeado como ministro interino da Educação.

Elogios ao antecessor e intensificação de ações

Ao assumir pela primeira vez como Ministro da Saúde, Arthur Chioro elogiou o trabalho desempenhado por Alexandre Padilha, e garantiu que o Mais Médicos, principal ação da pasta, vai continuar, e até mesmo será intensificado. Chioro classificou Padilha como o melhor ministro da Saúde que o país já teve. O novo ministro garantiu que o diálogo com as secretarias estaduais será mantido, e que vai dar atenção especial à assistência farmacêutica para consolidar do SUS.

Arthur Chioro era secretário de Saúde de São Bernardo do Campo, e assumiu o posto porque o ex-ministro Alexandre Padilha pediu exoneração para concorrer a governador de São Paulo nas próximas eleições.