Publicado em: terça-feira, 11/06/2013

População retoma protesto contra preço da passagem

População retoma protesto contra preço da passagemNa segunda-feira, dia 10, aproximadamente 300 pessoas ocuparam a Câmara Municipal do Rio de Janeiro, localizada na Cinelândia, na área central, para, novamente, reclamar do aumento no valor da passagem do transporte coletivo. Além da Câmara, a manifestação ganhou diversas ruas, como avenidas Rio Branco, Presidente Vargas e Antonio Carlos, que permaneceram interditadas das 18 às 19 horas.

Pessoas que participavam do protesto impediram a passagem de dois ônibus, então o Batalhão de Choque acabou usando spray de pimenta e diversas bombas de efeito moral para que as manifestantes se dispersassem. Em contrapartida, os manifestantes atearam foto em entulho e lixo para deixar as ruas interditadas e ainda arremessaram pedras e coco contra os agentes.

Muitas pessoas que trabalham na região ficaram com medo do tumulto, mesmo com o trabalho da PM, Batalhão de Choque e Guarda Municipal e acabaram se escondendo em uma agência bancária que fica na avenida Presidente Vargas. Bares e prédios comerciais fecharam. Major Pereira diz diversas pessoas foram detidas pela polícia e algumas ainda carregavam coquetel molotov. Pouco depois das 19 horas, a via foi liberada para o trânsito.

Alguns motoristas reclamaram muito do tumulto provocado pela manifestação; para estes, os jovens exibiam faixa em que pediam desculpas pelo trânsito, mas defendiam que estavam lutando pelo direito de todos. O grupo ainda usou cartazes e carro de som. Num dos cartazes, Débora Trajano, estudante, fez um pedido de carona para o prefeito Eduardo Paes. A estudante diz que o aumento da tarifa é mais um dos grandes problemas do governo de Eduardo Paes e Sergio Cabral, governado do Estado. Ela diz que com o aumento o prefeito não está cumprindo com as promessas feitas em campanha.

Perto de 50 policiais militares acompanharam a mobilização, que contou ainda com quatro motos e cinco carros. Rosamaria Murtinho arrepende-se de não ter feito plástica para trama das 99