Policial é morto a tiros em boate no Rio de Janeiro

No Rio de Janeiro, Agentes da Divisão de Homicídios da Polícia Civil estão nesta terça-feira (09) realizando buscas para localizar o bicheiro João Carlos Martins Maia, de 37 anos, conhecido também como Joãozinho. Ele é suspeito de ter sido o mandante dos tiros que mataram um policial na madrugada do último sábado (06) em uma casa noturna na cidade do Rio de Janeiro.

O policial Marcelo Bittencourt, de 44 anos foi morto pelo agente penitenciário, Antônio Carlos de Oliveira Junior, que se entregou na segunda-feira (08) a noite na 42ª DP que fica no Recreio dos Bandeirantes. O advogado do atirador disse que o agente fazia a segurança de Joãozinho quando aconteceu o homicídio e que seu cliente atirou no policial em legitima defesa.

De acordo com as investigações da Polícia, Joãozinho estava em um camarote dentro da casa noturna acompanhado por seus seguranças, quando começou uma discussão entre ele e o policial Marcelo. Durante o ocorrido a vítima teria usado sua arma para atirar em um PM que era um dos seguranças, e que ficou ferido no rosto. Depois disso João Carlos Martins Maia ordenou que o agente penitenciário disparasse contra a vítima.

Os polícias envolvidos na ocorrência estavam de folga no momento. O Policial Militar que foi ferido no rosto foi enviado ao hospital da corporação, onde foi submetido a uma cirurgia, mas no momento passa bem. A boate carioca onde aconteceram os disparos, The Week, é conhecida por ser freqüentada pelo público GLS, a casa noturna permanece fechada por tempo indeterminado até que as investigações sejam concluídas.

+ Brasil

Buscar

Curtir