Publicado em: sexta-feira, 28/10/2011

Policial cita irmão do novo ministro do Esporte em depoimento sobre suposto esquema de corrupção

O policial militar delator do suposto caso de esquema de desvio de verbas no Ministério do Transporte, João Dias Ferreira, que foi o responsável por lançar as acusações iniciais contra Orlando Silva, então ministro e agora exonerado do cargo, também citou o nome do irmão de Aldo Rebelo, atual ministro do Esporte, Apolinário Rebelo, vice-presidente do PCdoB-DF. O PM teria envolvido Apolinário ao prestar depoimento à Polícia Federal por mais de oito horas.

De acordo com as informações concedidas por Dias Ferreira, Apolinário teria sido quem indicou a pessoa “responsável pela arrecadação” do dinheiro que teria sido desviado do programa Segundo Tempo. O policial militar afirmou que essa pessoa era Fredo Ebling, ex-chefe de Aldo na Câmara dos Deputados e que agora trabalha na liderança do PCdoB. Dias Ferreira não apresentou provas sustentando essa acusação e quem publicou as informações sobre o depoimento de Dias Ferreira foi o jornal Folha de S. Paulo.

Em contrapartida, Apolinário negou todas as acusações e afirmou que pretende entrar na Justiça contra o policial militar. Segundo Apolinário, sua função no Ministério não faria dele uma pessoa com poder de indicar outras. O irmão do atual ministro trabalhou como diretor de esporte estudantil do ministério por dois anos e meio.

Apolinário trabalhou em projetos específicos do programa Segundo Tempo, principal alvo das denúncias de desvio de verbas. O policial militar informou que conforme convênios eram firmados com Organizações Não-Governamentais (ONGs) uma porcentagem era destinada como propina para o PCdoB. O ex-ministro Orlando Silva renunciou por não resistir à pressão após as acusações.