Publicado em: terça-feira, 06/03/2012

Polícia russa prende ao menos 100 pessoas em protesto contra Putin

Nesta segunda-feira (5), a polícia russa prendeu ao menos 100 pessoas que se manifestavam contra a eleição de Vladimir Putin. No domingo, o então primeiro-ministro era um dos candidatos a presidência do país e venceu os demais nas urnas. Os manifestantes foram às ruas exigir a renúncia de Putin, que venceu com uma larga vantagem. As pessoas que protestaram diziam que aconteceu uma fraude nas eleições e muitos acreditam que o resultado foi “enviesado em favor do atual premiê”.

Vladimir Putin, por sua vez, garante que sua vitória foi justa e aberta, porém nem todos acreditaram nas palavras do presidente eleito e pediram uma “Rússia sem Putin” na Praça Pushkin. O ativista Sergei Kavalyov, que protestava na praça, afirmou para a Reuters que a população não vai “viver num país que faz um show cínico de uma eleição”. O líder da oposição, Vladimir Ryzhkov, afirmou que “a eleição é uma farsa”.

Prisões não foram feitas na praça

Os manifestantes tinham a autorização para fazerem o comício na praça e, por isso, as prisões não aconteceram neste local. De acordo com a polícia, 14 mil pessoas estavam presentes, porém Ryzhkov contabilizou 20 mil participantes. A polícia garantiu que prendeu 50 pessoas em uma manifestação não permitida na Praça Lubyanka, em Moscou, local da antiga KGB.

Uma testemunha da Reuters disse que viu ao menos 50 pessoas serem detidas em São Petesburgo em um manifesto não autorizado. Os admiradores de Putin, por sua vez, acenavam bandeiras com a frase “Putin é o nosso presidente”. Os resultados oficiais afirmam que o premiê conquistou sua vitória com 63,3% dos votos, porém, os monitores internacionais garantem que a eleição foi manipulada em favor de Putin.