Publicado em: quarta-feira, 15/08/2012

Polícia prende a 5°integrante da gangue das loiras

Polícia prende a 5°integrante da gangue das loirasFoi presa ontem (14), pelos policias do 3° Departamento de Polícia, a quarta integrante da gangue das loiras. O grupo, formado em sua maioria por mulheres loiras, praticava sequestros-relâmpagos em diversos shoppings de São Paulo.Segundo secretaria de Segurança Pública,a seqüestradora Priscila do Amaral, de 32 anos, vinha sendo investigada pela divisão Antissequestro, e foi presa pelo cumprimento do mandado expedido pelaJustiça. O delegado responsável pela operação, Antônio Luís Tuckumantel, que é do 3° DP da Polícia Civil, declarou que Vanessa foi encontrada na Rua Basílioda Cunha, no bairro Aclimação, Zona Sul de São Paulo, por volta das 12h.

O grupo de mulheres ficou conhecido como a gangue das loiras e era composto por seis mulheres e um homem. Todas as integrantes são de classe média alta e usavam carros importados bem como roupas e acessórios de grife. Algumas delas possuem curso superior. Em maio deste ano foi presa a quarta integrante do grupo, Vanessa Geremias Vendramini, de 23 anos, estava na casa de parentes, em Poá (SP) quando foi surpreendida por homens da polícia.

As investigações começaram há mais de dois meses, mas só se tornoram públicas nodia 20 de mais, quando a irmã de Vanessa, Carina, foi presa na casa aonde morava com o marido e a filha em Curitiba. No dia 22 de maio foi preso o único homem do grupo, Wagner de Oliveira Gonçalves, que era indicado como o líder da quadrilha. Sua esposa, Monique Awoki Scasiota, que também participava dos sequestros, foi presa no mesmo dia.

Duas integrantes do grupo estão foragidas, Franciely Aparecida P. dos Santos e Simara Lian. O grupo se conheceu na região da Bela Vista, localizada em São Paulo, e vinham praticando crimes juntos desde o ano de 2008. Segundo apolícia, as mulheres aproveitavam a beleza para conseguirem fazer compras sem documentos e entrarem nos condomínios sem vistoria rígida. As mulheres se dividiam em duplas ou trios e faziam as abordagens em estacionamentos de shoppings ou supermercados na zona sul da cidade. Foram registrados mais de 50casos só em São Paulo. Todos os integrantes do grupo já tinham passagem pela polícia.