Publicado em: quarta-feira, 14/12/2011

Polícia paquistanesa encontra estudantes acorrentados

Aproximadamente 50 estudantes foram libertados pela polícia paquistanesa na cidade de Karachi. Os alunos eram de uma escola religiosa nomeada “madrassa”, e eram mantidos acorrentados. Os estudantes possuíam idades variadas e, alguns deles, eram espancados, não recebiam alimento e ficavam em um local descrito pela polícia como uma câmara de tortura.

Vários pais pagaram para que seus filhos fossem alunos desta escola, conhecida pelo povo como “madrassa cadeia”. Os pais enviavam seus filhos para este local, pois eram viciados em drogas ou estavam ligados com crimes. Alguns alunos concederam uma conversa com a imprensa enquanto ainda estavam com as correntes.

Diversos deles afirmam que a disciplina escolar era brutal. Um estudante conta que os responsáveis pela unidade escolar diziam aos alunos que eles seriam mandados para se unir a Jihad, mas que se tentassem fugir da escola sofreriam uma punição de 200 chibatadas. Outro aluno disse que membros do Talebã iam até a “medrassa” para dizer aos alunos que se preparassem para a batalha.

Duas pessoas que auxiliavam na administração do local foram presas pela polícia, porém, o diretor conseguiu escapar. Diversos pais mandam seus filhos para esta escola em busca de tratamento médico, e acreditam que este regime pode ajudar na reabilitação das crianças.