Publicado em: sábado, 14/01/2012

Polícia Militar vai permanecer na Cracolândia

Nesta sexta-feira, dia 13 de janeiro, uma reunião entre as secretarias do governo de São Paulo e representantes do Ministério Público decidiu que os policiais militares irão continuar fazendo seus trabalhos na Cracolândia. De acordo com o promotor Eduardo Valério, a Polícia Militar deverá somente garantir o trabalho dos assistentes sociais e dos agentes de saúde, além de combater o tráfico de drogas.

Porém, segundo o comandante da polícia, Álvaro Camilo, os agentes poderão deter aquelas pessoas que estiverem fazendo uso de crack. As atitudes abusivas da Polícia Militar estão sendo averiguadas através de um inquérito do Ministério Público. A reunião foi feita para acertarem as próximas etapas da ação policial, para que as promotorias tivessem conhecimento dos motivos e objetivos da PM na região.

O promotor Eduardo Valério afirma que o Ministério Público não tinha conhecimento sobre a ação, e diz que agora saberá de toda a operação. Mas segundo o comandante Álvaro Camilo, todos sabiam e a operação foi feita para atender a um pedido dos órgãos públicos do estado. O comandante afirma que órgãos da prefeitura solicitaram uma “ação mais intervencionista” por não conseguiam agir na Cracolândia.

Segundo o promotor, o Ministério Público e a Polícia Militar estão em acordo sobre a importância e a necessidade de ajudar o dependente químico. De acordo com Valério, a polícia afirma que nunca existiu intenção de retirar as pessoas do local e que isso foi apenas uma consequência da operação. Ele ainda afirma que a ação da PM não vai se alterar e está tudo planejado.