Publicado em: sexta-feira, 23/03/2012

Polícia Federal prende grupo que planejava atentado contra alunos da UnB

A Polícia Federal de Brasília acredita que os presos Emerson Eduardo Rodrigues e Marcelo Valle Silveira Mello, capturados na “Operação intolerância”, estivessem planejando um atentado contra um grupo de alunos da Universidade de Brasília. Os dois foram presos por suspeita de incitar violência contra mulheres, negros, nordestinos, judeus, homossexuais e o abuso sexual de menores.

A Polícia Federal encontrou na casa de um dos dois um mapa, que indicaria uma casa comumente freqüentada pelos estudantes da UnB em eventos sociais. Os dois teriam também declarado ao delegado Flúvio Cardinelli que possuíam a intenção de cometer o crime.

Os dois mantinham uma página na internet, a dupla escreveu no post “Estudante de Ciências Sociais da UnB, estamos a caminho” frases que demonstrava a intenção de matar os alunos. “A cada dia que se passa fico mais ansioso, conto as balas, sonho com os gritos de vagabundas e esquerdistas chorando, implorando para viver. Vejo o sangue para tudo quanto é lado, manchando uma camiseta com o logotipo do PSOL/PSTU”, afirmava a mensagem.

Crimes relacionados

Os policiais também suspeitam que Rodrigues e Mello tivessem contato com Wellington Menezes, jovem que ficou conhecido pelo tiroteio em Realengo, em 2011, quando atingiu diversas crianças em uma escola do Rio de Janeiro. De acordo com a PF, mensagens no site da dupla apresentam frases parecidas com as usadas pelo primeiro atirador.

“As leis idiotas que criaram foram criadas por indivíduos fracos e parasitas, estes na primeira revolução serão os primeiros a levarem bala. Mas criamos este blog por isto, apenas os apaixonados podem despertar paixão nos outros. Despertamos no Wellignton, estamos despertando em vários outros”, afirma outra postagem.

Os dois presos também contaram à polícia que foram procurados por Wellington, para guiá-lo como proceder na escola. A seita criminosa a que os três pertencem prega o extermínio dos integrantes que não são fieis a causa.